Top Ad 728x90

domingo, 26 de fevereiro de 2012

, ,

Sensei Que Nada Sei entrevista INRI CRISTO

SQNS ENTREVISTA - INRI CRISTO

 

Ele já foi do Programa do Jô ao Super Pop, e já passou sua mensagem de uma forma bem humorada no Pânico na Tv, além de colecionar outras aparições na mídia brasileira. Ele já deu palestras pelo Brasil e outros países sobre sua Revelação! Ele diz ser o Filho do PAI! Ele é o mais novo entrevistado do Blog Sensei Que Nada Sei... Ele é o INRI CRISTO!
  
Nome: ÁLVARO INRI CRISTO THAIS

Data de Nascimento: 22.03.1948

Líder Espiritual

>>SQNS: Sr. INRI, o senhor diz que é a reencarnação de Jesus de Nazaré, assim como o foi de Adão, Moisés, Noé, e outros. Entretanto, todos esses outros se comportaram como pessoas independentes de sua real identidade. O senhor abandonou a existência do “Sr. Álvaro”? Ele ainda existe?

>>INRI: “Álvaro, meu filho, é o nome que me foi dado por ocasião de meu registro, mas só usei-o formalmente até chegar o dia do jejum em Santiago do Chile. Há dois mil anos, até o jejum usei o nome de Emanuel, conforme profetizara Isaías (c.7 v.14 e 15): “Uma virgem conceberá e dará à luz um filho e seu nome será Emanuel. Ele comerá manteiga e mel até que aprenda a rejeitar o mal e escolher o bem”. Com o nome de Emanuel vivi em ambientes profanos, aqueles lugares que a Bíblia não diz onde eu estava. E eu vos digo em verdade, meus filhos, que nesse período eu estava me enlameado nos pecados do mundo, motivo pelo qual posteriormente insisti ser batizado por João Batista (“Sou eu que devo ser batizado por ti, e tu vens a mim?” – Mateus c.3 v.13 a 16). Só após o jejum o SENHOR deu-me consciência de minha condição e passei a me chamar Jesus. Então pousou sobre mim o Espírito Santo, simbolizado por uma pomba, que representa a pureza e a paz (João c.1 v.32). Outrossim, quando ameaçaram apedrejar Maria Madalena, só podia saber que todos aqueles homens eram pecadores porque anteriormente vivera no meio deles (João c.8 v.7). E agora de novo, só por ocasião do jejum o SENHOR me mostrou que o nome que adotei quando iniciei minha vida pública, Iuri, tinha a segunda letra no sentido contrário (u # n), e revelou que meu nome legítimo é INRI, o nome que paguei com meu sangue na cruz, conforme previsto nas Sagradas Escrituras (“Ao que vencer... escreverei sobre ele o nome de meu DEUS... e também o meu novo nome” – Apocalipse c.3 v.12). INRI é o nome que Pilatos escreveu acima de minha cabeça quando eu agonizava na cruz, quando cuspiam em meu rosto, quando me humilhavam, quando se cumpriam as Escrituras. INRI é o nome que custou o preço do sangue.”

>>SQNS: Há uma imagem na internet que mostra tua carteira de identidade. Nela, podemos ler “Não doador de órgãos”. Há alguma razão especial para sua escolha? Doar órgãos não ajuda a salvar outras vidas?

>>INRI: “Há uma razão sim. Eu não posso ser desonesto, sendo assim não posso doar o que não é meu. Se eu tivesse um órgão suplementar, um “estepe”, aí sim poderia doar. Digamos que eu tivesse dois corações, neste caso doaria um para alguém. Mas só tenho um coração, e esse que eu tenho não é meu; pertence ao meu corpo, que é o templo de meu PAI. Sendo assim, não posso remover um órgão de meu corpo à revelia da vontade do meu CRIADOR, meu SENHOR e meu DEUS. No caso do sangue e medula óssea, é lícito doar porque ambos se renovam. E por que não é lícito aos olhos de DEUS e da lei divina expor os órgãos à doação? Quando te declaras doador de órgãos e colocas teu nome na fila de doadores, todas aquelas pessoas que estão esperando um órgão, por razões óbvias estarão consciente ou inconscientemente vibrando, torcendo pela tua morte, pelo teu passamento, ou seja, estarão desejando o teu fenecimento; isso é automático. E isso gera no contexto cósmico uma corrente energética que tornará os “doadores” mais vulneráveis e propensos a sofrer um acidente, por exemplo. Quantas vezes ouvi dizer de pessoas que se declararam “doador” em um dia e pouco tempo depois se acidentaram. Mas não é só por isso que me declaro não doador, e sim porque é uma questão de coerência e opção. Todo problema está em que os seres humanos pensam em prolongar a vida por temer a morte, e temem a morte por ignorar que a morte não existe; é apenas uma etapa da vida. A solução é confiar em DEUS e deixá-lo decidir o destino de todos, afinal nada acontece na Terra sem o consentimento do PAI”.   


>>SQNS: A parúsia (crença na segunda e definitiva vinda de Jesus Cristo para presidir o Juízo Final na Fé Cristã) é prevista pelos Cristãos com base na Bíblia. Se o senhor é mesmo Jesus, esse tempo chegou! O Juízo Final não deveria estar acontecendo?

>>INRI: “O juízo final está acontecendo sim, todos os dias. O julgamento da humanidade está em pauta na ordem do dia; milhares de pessoas são condenadas à morte a cada momento. No mundo inteiro, milhares de pessoas sobem o patíbulo diariamente. Todavia, o patíbulo moderno não é limitado; é uma bala perdida, um acidente, um edifício que desaba e deixa inúmeras pessoas soterradas... Enfim, o juízo final está ocorrendo não como as pessoas imaginavam, e sim como a mãe natureza demanda, e assim a poderosa e perfeita lei divina se cumpre.”

>>SQNS: Como o senhor definiria a Bíblia? (Ela é um livro sagrado? É realmente a Palavra de Deus? Foi modificada na Idade Média pela Igreja Católica? Ela é metafórica?)

>>INRI: “A Bíblia é um livro de letra mortas, repleta de lendas, fábulas, parábolas e metáforas. Logo, é sim um livro metafórico. Só com anuência de DEUS, pedindo humildemente a Ele que conceda o dom da assimilação racional, é possível interpretar cabalisticamente o significado das Sagradas Escrituras. Considerá-la radical e literalmente um guia moral é uma afronta à decência e dignidade dos povos e pretender que ela seja o depositário das verdades absolutas é ridicularizar e subestimar o intelecto humano. As fábulas, parábolas, lendas e metáforas estão embutidas nas Sagradas Escrituras no intuito de ilustrar o discurso teológico. A história de Jonas, por exemplo, é uma fábula. Como se poderia conceber que um homem permaneceria três dias e três noites no ventre de uma baleia e posteriormente seria vomitado na praia? A prova de que isto não pode ser considerado no sentido literal é que, se a baleia deveras tivesse ido até a praia, ela teria encalhado; conseqüentemente, estaria asfixiada e não teria fôlego para vomitá-lo fora. Na verdade, esta fábula serve para ilustrar que se uma pessoa está sem a bênção de DEUS ela é geradora de energias negativas que propiciam o desequilíbrio do ambiente, culminando com desgraças no seio familiar. Ou seja: não deveis espontaneamente manter relações estreitas com pessoas sem vínculo com o SENHOR, órfãs da espiritualidade, principalmente as rebeldes obstinadas que estão pagando dívidas carmáticas. Podeis perguntar, então: como distinguiremos na Bíblia o que veio de DEUS do que veio dos homens? E eu vos respondo, da parte de meu PAI: vós já deveis haver observado a beleza e vastidão do mar, com suas inumeráveis ondas e variadas formas de vida. Do mar vos é facultado retirar peixes com escamas e barbatanas e algas para vos servir de alimento. Mas vós não bebereis da água do mar, não comereis a areia do mar nem o lixo do mar, tampouco tereis gosto em tomar banho no mar poluído. Assim também são as Sagradas Escrituras. Nem tudo o que está lá escrito pode ser considerado inquestionavelmente verdadeiro só porque está escrito. Há que se pedir ajuda e inspiração do ALTÍSSIMO, meu PAI, no afã de esquivar-se das incoerências, dos erros de tradução, das interpretações humanas equivocadas. Assim, Ele abençoará vosso espírito e vos premiará com o dom do discernimento em vossas mentes facultando a assimilação de Suas santas e eternas leis, que, por serem perfeitas, são imutáveis, não mudarão jamais. A lei de DEUS é viva e sempre atual em qualquer época e em qualquer lugar; atua permanentemente em cada célula de vossos corpos, em cada partícula de vosso sangue, em cada manifestação da natureza e em cada partícula do Universo. A lei de DEUS está incontáveis milhões de vezes mais viva dentro de cada um de vós do que em anacrônicos arquivos mortos”.  

>>SQNS: O senhor, enquanto alguém que sabe e crê piamente que é o Cristo encarnado, tem planos para que tudo que tem anunciado e construído não caia após o fim dos seus dias terrenos?

>>INRI: “Não tenho plano nenhum, meus filhos. Estou aqui na Terra cumprindo um mandato divino. Só falo o que Ele manda, não vivo na Terra um segundo senão só pra cumprir a vontade de meu PAI. Portanto, tudo que falei e que não aconteceu ainda, vai acontecer. O Reino de DEUS já está instituído na Terra, formalizado pela SOUST; no dia 28 de fevereiro deste ano de 2012 comemoramos 30 anos da fundação da SOUST. Tudo que eu disse aos discípulos e está previsto no estatuto da SOUST está se cumprindo. Mas uma coisa é certa e séria: as pessoas que maliciosamente perguntam quando é que eu vou partir, o que vai acontecer quando eu morrer, meu PAI disse que essas pessoas não viverão para ver esse dia. Isso eu vos falo da parte do SENHOR.”

>>SQNS: Caso morras sem nada haver sido modificado, não tens receio de que as pessoas que te seguem fiquem frustradas por terem acreditado em algo por tanto tempo que se mostrou equivocado?

>>INRI: “Em primeiro lugar, os meus filhos que sabem quem sou, a quem o SENHOR concedeu o dom da compreensão e assimilação, jamais sofrerão qualquer tipo de frustração porque me amam sem nada exigir em troca, há uma sublime relação de amor entre mim e os meus filhos que não permite qualquer espaço para dúvida ou desconfiança. Cada um dos que vivem comigo pela causa do SENHOR busca fazer a sua parte abnegadamente, sem esperar retorno, e justo por não esperar nada é que estão sempre beneficiados pelas bênçãos celestiais. Já os que fazem esse tipo de pergunta não poderão resmungar nem reclamar; não poderão sequer ficar frustrados porque não viverão para ver o dia de minha partida; eles é que partirão antes de mim.”

>>SQNS: Porque falas de forma esquisita, se és brasileiro? O tempo que passaste fora foi suficiente para ter esse sotaque tão carregado?

>>INRI: “Eu reencarnei no Brasil, mas não sou brasileiro; sou judeu, o mesmo que crucificaram. Até o ano 2000 vivi como apátrida; só então as autoridades terrestres me restituíram o direito à nacionalidade. Quanto ao sotaque a que te referes, é justamente isso que me difere dos nativos desta terra. Minha voz é comandada pelo SENHOR do Universo, obedece a um comando universal. Minha voz não é regional e sim é a voz do Filho do Homem que emite sons diferentes dos terráqueos, cumprindo o que prometi há dois mil anos, quando disse que pela minha voz meu rebanho me reconheceria (João c.10 v.4). Ninguém é obrigado a crer, mas sou o mesmo Cristo que crucificaram e voltei com a mesma voz de dois mil anos atrás. As pessoas que me ouviram naquele tempo e agora me reencontram, mesmo não tendo visto meu rosto reconhecem-me pela minha voz, que é diferente da voz de um brasileiro. Muitas vezes que falei em programas de rádio alguns filhos identificaram-me pela minha voz. Outrossim é através da voz que se manifesta a palavra. É pela palavra que libertarei os meus filhos do jugo dos falsos religiosos, dos grilhões da idolatria, da fantasia e da mentira. Porque sou o mesmo, a forma como ensino as coisas de meu PAI continua a mesma. As pessoas inteligentes que vêm à minha presença e raciocinam percebem que respondo a qualquer pergunta sem dogmas, sem sofismas e sem subterfúgios, sempre dentro da coerência e da lógica, que são indissociáveis da verdade”.

INRI e Rafinha Bastos (que é judeu)

>>SQNS: Há chance de salvação para quem não é Cristão?

>>INRI: “Quando me chamava Jesus eu disse que havia algumas ovelhas que não eram do meu aprisco (João c.10 v.4 e 16), mas que era mister que eu as tomasse. Nem todos que se dizem cristãos merecem se salvar; existem pessoas de outras crenças, até mesmo ateus, que na última hora têm um espaço para o SENHOR, meu PAI. E eu falei há dois mil anos: “Bem aventurados os pobres de espírito, o Reino dos céus será deles” (Mateus c.5 v.3 a 10). As pessoas que não têm religião, que não crêem em nenhum Deus, de repente elas têm um espaço, uma veia mística, um local secreto em seus cérebros que pertence ao SENHOR, que é Onisciente, Onipresente e Onipotente. Muitos que se consideram salvos estão condenados e aqueles que se julgam muito pecadores, perdidos, estes serão encontrados, serão achados. E em verdade vos digo que tão somente crer que sou Cristo não salva ninguém. Nem meus discípulos podem dizer que estão salvos. O que salva, em primeiro lugar, é a sincera busca pela verdade e viver o máximo possível dentro da lei divina. E como eu mesmo disse há dois mil anos: “Eu sou a luz do mundo, a verdade e a vida. Eu sou o caminho; ninguém vem ao PAI senão por mim” (João c.14 v.6), logo, é através de mim que se abrem as portas da salvação, porque meu PAI e eu somos uma só coisa. Em assimilando os ensinamentos que ministro da parte dEle, quem se aproxima de mim pode se preparar para viver dentro da lei, e em se coadunando obtém a salvação”.

>>SQNS: O senhor torce para algum time de futebol?

>>INRI: “Eu não torço por nenhum time de futebol porque, afinal de contas, são todos meus filhos. Apenas gostaria de ver que eles se distraíssem no esporte, sem violência, sem fanatismo. Tenho o costume de fazer uma brincadeira e ironizar com o futebol: se eu tivesse posses, compraria 22 bolas e daria uma bola a cada jogador, para não ver meus filhinhos se despedaçando, se atropelando uns aos outros por causa de uma bola só... assim costumo responder aos que me questionam sobre o futebol, porque na verdade não posso torcer por time algum.”

 
INRI aproveitando o descanso para surfar... 

>>SQNS: Há alguma coisa que o senhor fazia à época em que não havia percebido ainda que era a reencarnação de Cristo, e que hoje sente falta de fazer?

>>INRI: “Eu não sinto falta de nada porque não renunciei a nada; acontece apenas que hoje os meus passos são guiados pela consciência que adquiri no jejum. Ainda assim, há muitas coisas que eu fazia e continuo fazendo: eu era e sou vegetariano, jogava sinuca e jogo, de vez em quando jogo até um boliche; continuo escutando as músicas que para mim são mais agradáveis, dentre as clássicas e populares que têm sentido na letra; convivo com as pessoas que eu amo e só com aquelas que me amam. Considero até que estou muito melhor agora, afinal meu PAI me preparou um lugar maravilhoso para viver, que é a Nova Jerusalém do Apocalipse c.21, mais precisamente aqui em Brasília, na sede da SOUST. Agora sei quem sou, de onde vim e para onde vou, e antes do jejum eu não sabia; vivia como uma pedra que rolava e não criava limo. Depois que meu PAI revelou minha identidade e que estabeleci o Reino dEle, formalizado pela SOUST, no histórico 28/02/1982, estou satisfeito comigo mesmo. Por enquanto estou aqui cumprindo a minha missão, que é orientar, instruir, ensinar os meus filhos, os que me buscam, a viver com dignidade. Eu não tenho pressa e não estou pedindo nada de ninguém. Mas no dia que o povo desta terra se despertar e quiser me ouvir, poderei ajudar não só os que vêm à minha presença, e sim toda esta nação. Então os filhos da Terra de Santa Cruz poderão ver o cumprimento da justiça divina. Quem viver, verá. Os que querem me ouvir podem começar por se manifestar através da petição pública que está sendo veiculada na internet.”

(Para assinar a petição pública pró INRI CRISTO falando sem censura ao povo brasileiro, acesse http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=INRI2011 ).


         
INRI só nos tweets @_INRICRISTO



E aqui se encerra a entrevista com o Sr. Inri Cristo. Devo, antes de terminar, agradecer a presteza e a gentileza da discípula do INRI, Assinoê Oliveira (@Assinoe), foi ela quem ajudou a tornar esta entrevista possível. E o blog agradece também, claro, ao INRI Cristo!



Para quem gostou da entrevista e ficou curioso para saber de outras respostas do INRI Cristo, sua discípula Assinoê pediu para que eu divulgasse que todos os sábados (ao vivo) às 21:00 horas ele se pronuncia pela Web no Justin TV. O endereço do canal é:  http://justin.tv/inricristonaweb

0 comentários:

Top Ad 728x90