Top Ad 728x90

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ansiedade, a Maior Inimiga do Ser Humano

A relação entre necrofagia (ingestão de carnes), destruição da natureza, explosão demográfica e ansiedade.

Assim falou o Emissário da Paz, INRI CRISTO:

“Um dos maiores problemas que o ser humano enfrenta nos tempos atuais é a ansiedade. Pode-se afirmar sem margem de erro que a maior causa de morte no mundo não é o entupimento de artérias coronárias, enfarte, derrame cerebral, câncer etc. Analisando profundamente o contexto global, a maior assassina dos seres humanos é a ansiedade. Por causa da ansiedade muitas pessoas tornam-se demasiadamente obesas e em conseqüência sofrem de doenças cardíacas, diabetes, sérias disfunções orgânicas, desequilíbrio emocional, enfim, nunca a ansiedade se mostrou tão nociva e ironicamente tão ligada à vida dos habitantes da terra.

Mas o que causa a ansiedade, o que torna a ansiedade tão indissociável da vida do homem contemporâneo? Segundo a visão científica, perda de status, de conforto, de poder econômico, de afetos, amizades, privilégios, vantagens, de possibilidade de concretizar interesses, de vaidade, são fatores mais do que suficientes em muitos casos para disparar o sistema neuronial culminando com o inferno da ansiedade. Essa é uma explicação extremamente simplista, mecanicista e reducionista face à verdadeira, à real causa da ansiedade neste mundo caótico. Da parte de meu PAI vos direi o que de fato ocasiona a ansiedade. Expressando numa linguagem matemática ao gosto dos cientistas, o aumento da ansiedade é diretamente proporcional ao afastamento de DEUS. Ou seja: quanto mais o ser humano se distancia, se desliga de DEUS, quanto mais perde a confiança no CRIADOR, mais ansioso ele será. Quanto mais o ser humano conspira contra a lei divina, mais ele é possuído pela ansiedade, que é a residência do maligno.

No que consiste violar a lei divina? Em que momento um ser humano está virando as costas para DEUS? Cada vez que alguém é possuído por inveja, ódio, maldade, egoísmo, mesquinhez, cada vez que alguém comete uma injustiça contra o seu semelhante através de atos ou palavras, nesses momentos ele está caminhando contra DEUS. A começar pela dieta carnívora (ingestão de cadáveres), a destruição da ecologia, dos ecossistemas e a procriação desordenada, o modo de viver do ser humano está totalmente contrário ao curso estabelecido pela natureza. Ao invés de se integrar à mãe terra e coabitar com os animais integrantes do contexto ecológico, o ser humano necessita alimentar o insaciável desejo de dominar, aniquilar, possuir, manipular, destruir a qualquer custo.

Cada vez que se ingere o cadáver de um animal, toda a ansiedade da vítima em forma de energias negativas e substâncias nocivas liberadas na carne são transferidos para o necrófago. Em outras palavras: quanto maior a matança de animais e ingestão de suas carnes, maior a ansiedade nos seres humanos. O tenebroso quadro que presenciamos nos dias de hoje é o ápice, a conseqüência de milhares de anos de transgressão à lei divina, desde os tempos em que a terra foi higienizada pelo dilúvio. Nessa ocasião o SENHOR temporariamente autorizara o homem a se alimentar de carne (Gênesis c.9 v.3), todavia o homem apegou-se, acostumou-se a este hábito e o cultiva até hoje, para sua própria desgraça. Em adição à desenfreada matança de animais, a abusiva interferência humana na ecologia ocasionou uma catastrófica alteração na freqüência de um poderoso campo eletromagnético que circunda o planeta e é responsável pelo equilíbrio na biosfera (Ressonância Schumman), que funciona como as batidas do coração da Terra. Durante milhares de anos essa freqüência se manteve em 7,83 hertz (pulsações por segundo) e apenas nos últimos vinte anos, mais precisamente a partir dos anos 90, passou para 13 hertz. Esta aceleração descontrolada causada pela ansiedade do ser humano gera ainda mais ansiedade. A reação se faz sentir cada vez mais acentuadamente através da fúria implacável e devastadora da mãe natureza, na manifestação do seu gemido de dor e agrura.

A ansiedade está, outrossim, intimamente ligada à explosão demográfica.Quanto maior a ansiedade, maior a necessidade de fornicar impulsivamente, bestialmente, e quanto mais o ser humano fornica sem prevenção e sem medir conseqüências, mais aumentará desordenadamente a prole. Ao invés de utilizar o ato sexual unicamente como um mecanismo divino de perpetuação da espécie, como sucede aos animais integrantes da ecologia, o ato sexual degenerado tornou-se um dos maiores escapes da ansiedade, porque no ato sexual acontece uma grande liberação de energia que descarrega temporariamente essa sensação nefasta, principalmente no caso dos homens. A ansiedade gera um estado de tensão e uma necessidade compulsiva de se libertar dessa tensão através do sexo. É o que se chama, nos meios científicos, prazer do alívio. Não obstante, a ansiedade continua, a tensão volta rapidamente assim como o desejo de satisfazer as necessidades puramente fisiológicas, que falam mais alto do que a questão afetiva. Quanto maior o estado de ansiedade, maior a necessidade de fornicar e descarregar adrenalina. É um pernicioso círculo vicioso que nada tem a ver com o amor verdadeiro e sim com a satisfação de instintos bestiais.

Todas essas coisas que contemplais nesses tempos difíceis em que ouvis falar de guerras, rumores de guerras, reino contra reino, nação contra nação, tempestades, terremotos, inundações, pestilências, fomes, são apenas o princípio das dores que enunciei há dois mil anos prenunciando o meu retorno. Então, meus filhos, diante desse quadro deplorável que piorará cada vez mais na consumação dos finais dos tempos, lembrai-vos que existe uma solução, uma única e infalível solução: voltar-se para DEUS, confiar plenamente em DEUS, no DEUS que fez os homens, meu PAI, Supremo CRIADOR, único Ser incriado, único Eterno, único Ser digno de adoração e veneração, único SENHOR do Universo, e não no “deus” que os homens fizeram. Ele, meu PAI, reenviou-me a este mundo com a missão de educar os meus filhos, orientá-los, ensiná-los a viver harmoniosamente, cultivando a pureza das crianças, como eu disse há dois mil anos: “Quem não for como um destes pequeninos, não poderá entrar no Reino de DEUS” (Mateus c.19 v.14). Eis por que meu PAI me mostrou e digo há mais de vinte anos sobre o alvorecer da Nova Era após o fim deste mundo caótico: ...a humanidade voltará à vida simples e livre, em comunhão íntima e perene com a natureza, e preferirá o manjar simples e natural dos frutos e vegetais. A profissão mais nobre durante os próximos mil anos será a agricultura. O homem buscará na mãe terra o pão místico para o banquete divino com a mesma inocência que as crianças buscam no seio materno o leite vital que lhes faculta o crescimento e a sobrevivência ante o olhar dulce e aprovador do bondoso PAI celeste.

Quanto mais se luta contra a ansiedade levando uma vida sã, sem vícios e maus hábitos, mais se estará lutando contra o principado das trevas, mais se estará lutando a favor da paz e do Reino de DEUS. Como enunciei há dois mil anos, o Reino de DEUS não possui aparência exterior, porque o Reino de DEUS está dentro de cada um de vós. Em verdade vos digo: o Reino de DEUS pode se situar em qualquer lugar da dimensão terrestre, enfim, no corpo e no coração de um ser humano que nunca esteve comigo; se ele conseguir livrar-se da ansiedade e encontrar a paz plena, viver uma vida serena e altruísta, ele será, outrossim, uma partícula do Reino de DEUS. É um conjunto de coisas que se fazem observar na manifestação do Reino de DEUS em cada indivíduo. Um ser humano pode sim estar interligado a DEUS embora não me conheça, porque a expressão mais elevada da presença de DEUS é a paz. DEUS é inefável, indescritível, intocável, invisível aos olhos comuns, todaviavisível aos olhos da alma dos que verdadeiramente O buscam”.

0 comentários:

Top Ad 728x90